Dilma envia Força Nacional de Segurança contra índios

Mato Grosso do Sul
Governo quer reprimir as ocupações de terra pelos índios. Um índio foi morto após ter sido baleado por policiais durante a reintegração de posse de uma das fazendas ocupadas

 Índios rasgam documento com a decisão da juíza pela reintegração de posse da fazenda

O governo federal decidiu na última terça-feira, dia 3, enviar tropas da Força Nacional de Segurança para a região de Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul, onde fazendeiros acionaram a polícia contra índios para uma ação de reintegração de posse na fazenda Buriti. A decisão é de uma covardia sem tamanho. Os índios são totalmente indefesos diante da Polícia, que dirá da Força Nacional de Segurança, que é acionada para conter greves de policiais civis e militares.

A juíza federal Raquel Domingues Amaral tinha determinado o prazo de 48 horas para que os índios saíssem da fazenda. Os índios rasgaram a notificação da Justiça. A Justiça Federal então anulou a liminar da juíza, para evitar a desmoralização do tribunal de Justiça do estado, depois dos índios mostrarem que não se importavam com a decisão tomada.

Ao contrário do que ocorrem com outros movimentos sociais, a Justiça Federal interveio porque percebeu que os índios não iam cumprir a decisão da juíza e estão dispostos a morrer por suas terras. Quando ocorre com outros movimentos sociais, a imprensa capitalista é a primeira a condenar o não cumprimento de uma ordem de um juiz, que sempre age a favor dos poderosos.

A Justiça Federal então estabeleceu um prazo para que União , Funai e Ministério Público Federal se manifestem sobre o caso.

No mesmo dia, o índio Oziel Gabriel, de 35 anos, foi baleado por um policial quando estava na área da Fazenda de São Sebastião. Seu primo, Josiel Gabriel Alvez, de 34 anos, foi baleado nas costas e outros dois índios que estavam com Oziel no momento que foi morto estão desaparecidos.

Não sendo suficiente a polícia para reprimir os índios, Dilma enviou 110 homens da Força Nacional. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, pediu ainda à Polícia Federal que discutisse com o secretário estadual de Segurança Pública a possibilidade de elevar o contingente de policiais no local.

Cardozo autorizou a ação da Polícia Federal de reintegração de posse da fazenda, o que causou a morte do índio.

Os índios terena reivindicam a posse de 17,3 mil hectares de terra que estão ocupados por fazendas. Essas terras já eram ocupadas pelos índios quando foram tituladas a fazendeiros pelo governo federal.

Os índios organizaram novas ocupações de fazendas no Mato Grosso do Sul e ocuparam a sede do PT em Curitiba, em protesto pela morte de Oziel.

 

Publicado no Diário Causa Operária Online, de domingo, 9 de junho de 2013

www.pco.org.br


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s