JUSTIÇA PARA QUEM?

 

O STF é formado por um punhado de juízes vitalícios que atropelam os poucos direitos democráticos que ainda restam no Brasil, como pode ser visto no fraudulento julgamento do Mensalão que foi retomado com objetivo de atropelar os direitos democráticos mais básicos (domínio dos fatos, embargos infringentes, primeira instância, presunção de inocência etc), oito anos depois de ter iniciado, na mesma semana do primeiro e segundo turno das últimas eleições municipais. A esquerda pequeno-burguesa, encabeçada pelo PSTU e o Psol, mascara a movimentação golpista, embriagada pelo cretinismo pseudo-democrático, na tentativa suicida de eleger deputados a qualquer custo. A esquerda pequeno-burguesa, como sempre, se perde em avaliações morais, nem sequer considera a luta de classes (entre forças políticas), e acaba capitulando diante da ofensiva da direita.

A bandeira da luta contra a corrupção é tipicamente direitista. O componente principal da corrupção não são os “negócios escusos”, mas a corrupção legalizada impulsionada pelo grande capital e pelo imperialismo, que no caso do governo do PT acontece com algumas contradições. A avaliação da corrupção precisa contemplar a corrupção geral do regime, da direita e dos grandes capitalistas. Estes são os principais corruptores, pois dependem do controle parasitário dos recursos públicos para manter os lucros. Esse é o principal objetivo da corrupção. Mesmo se um iluminado assumir a frente do governo ele também se tornará inevitavelmente um corrupto, porque a estrutura do regime é intrinsicamente corrupta.

A esquerda pequeno-burguesa tem se envolvido na campanha da direita que tem como objetivo denunciar a corrupção da cúpula petista. Os principais dirigentes do PT estão na cadeia enquanto sobre a cúpula tucana têm lançado denúncias do envolvimento em desviou de centenas de milhões. O STF (Supremo Tribunal Federal) encabeça a campanha contra a corrupção por tratar-se de um órgão controlado diretamente pela direita. Essa campanha tem se acentuado em escala mundial e representa um dos eixos das movimentações da ultra-direita.

O PT aplica a política do imperialismo com algumas restrições. Mas o próprio PT não é a direita abertamente pró-imperialista. Quem pensa isso é um ignorante que desconhece totalmente a política e a história. Essa direita quer uma dose de neoliberalismo muito maior que a do PT.

O PCO defende os presos políticos do PT que  foram condenados sobre a base de julgamentos fraudulentos, o que é muito perigoso, pois já está criando jurisprudência contra os movimentos sociais e reforçando o caráter bonapartismo do regime político como um todo. A prisão de meia dúzia de “mensaleiros” está longe de ter permitido “uma purificação do regime de dominação”. A análise da realidade, sob o ponto de vista das classes (e setores) em luta mostra exatamente o contrário. Uma direita reacionária passando por cima, ou rafazendo o Código Penal para mandar à prisão somente a cúpula do PT. O que há de democrático nisso? Para o que isso serve à classe operária? O regime, por acaso, deixará de ser corrupto? Ou, pelo menos, será menos corrupto? Na realidade, acontecerá exatamente o contrário, os atropelos do STF sobre os direitos democráticos deixa os revolucionários e as massas muito mais expostos.

É um dever dos revolucionários defender os poucos direitos democráticos que ainda restam no Brasil, sem ter nenhuma ilusão na pseudo democracia tupiniquim.

Editorial do Diário Causa Operária Online número 3709 de segunda-feira, dia 27 de janeiro de 2014


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s