Presidente da Argentina governa por decretos: emergência na área de segurança pública em todo o país

Maurício Macri  leva adiante todos os programas do imperialismo e usa a desculpa do combate ao narcotráfico para agir belicamente em todo o país

MacriLatuff2

O presidente argentino, apoiado pelo vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden,  decretou  na terça feira (19/01) que aviões considerados hostis tem autorização para serem abatidos pelas Forças Armadas e mais várias oito medidas que ficarão em vigor por um ano podendo ser prorrogada por mais um.

Macri dá galopes em direção a firmar um governo cada vez mais ditatorial. Transferindo às Forças Armadas cada vez mais poder, o presidente cria um “estado de sítio” no país e dá um caráter bélico ao Estado Argentino.

O decreto, forma já completamente estabelecida por Macri de governar e já contam mais de 30, passa por cima de qualquer validação do congresso e marca que o governo Argentino macrista está cada vez mais se mostrando um governo golpista e autoritário.  A máscara de governo democrático já caiu.  Macri já não é apenas um Aécio Neves Argentino pois foi eleito: podemos apenas imaginar como seria se Aécio fosse eleito no Brasil.

Macri decretou uma espécie de “pena de morte sem juízo prévio”. Basta apenas  pegarmos o caso de 2001 em que a força aérea peruana abateu um avião com base na mesma política e eram missionários pela paz. O caso levantou a atenção pois eram norte-americanos. Muitos outros casos ocorreram.

O decreto segue: “aquisição do material indispensável para aumentar a vigilância da fronteira fluvial, dos portos, e dos espaços marítimos de jurisdição nacional”.

Patrícia Bullrich, a ministra de Segurança da Argentina, continua o anúncio criando uma espécie de UPP ( Unidade de Polícia Pacificadora) na argentina. “Vamos entrar nos lugares que consideramos que o poder está nas mãos do narcotráfico e não do Estado. Vamos fazer isso de maneira confidencial”. O exército fará esse papel.

Macri, por decreto, nomeou juízes, demitiu funcionários públicos, limitou a liberdade de imprensa, prendeu opositores em função de liderar ocupações, e agora dá poder às Forças Armadas

A Argentina passou recentemente por uma brutal ditadura (1976-1983), e com Maurício Macri no poder,  um governante que não leva nenhum debate em consideração, governa por decretos, anuncia para a população medidas já tomadas, vai seguindo as determinações imperialistas e assim se estabelece como figura emblemática da direita. As condições para uma ditadura na Argentina vão se consolidando.

Uma resposta para “Presidente da Argentina governa por decretos: emergência na área de segurança pública em todo o país

  1. Acredito que a época da ditadura dos “Anos de Chumbo” já se esvaiu,em tempos atuais estão sendo usadas outras formas de ditadura.A propaganda política enganosa,visando o regozijo dos partidos políticos,com a complacência de certos políticos corruptos visando o próprio bem estar.Apresentam uma planilha de governo enganosa,e já nos primeiros dias em exercício fazem exatamente o oposto.É a Nova Ordem do Cinismo da Falta de Escrúpulos,estampa-da sem um minimo de pudor na cara destes cretinos,que aqui no Brasil também temos este dissabor.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s