A Nota Oficial do PSDB sobre a Copa: um partido contra o povo brasileiro

Um partido que torce contra o Brasil e o povo brasileiro e servil aos interesses do imperialismo
PSDB comemora derrota do futebol canarinho e a humilhação do povo brasileiro e exalta modelo de “austeridade” alemão que está matando milhões de fome na Europa e em todo o Mundo, evidenciando que não merece mais do que o profundo repúdio dos trabalhadores e todos os explorados e suas organizações de luta

Antônio Carlos Silva
(da Direção Nacional do PCO)

Deixando cair totalmente a máscara e as ilusões daqueles que divulgam a falácia de que “futebol e política não se misturam”, como é o caso de certos setores da esquerda pequeno-burguesa, ou dos que isoladamente procuraram criticar a denúncia do PCO de que o colapso da seleção brasileira diante do time alemão, foi o resultado de uma ampla operação política dos maiores inimigos do povo brasileiro, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), principal organização da direita nacional, publicou nota oficial – por meio seu Instituto Teotônio Vilela (ITV) – em que claramente comemora o resultado desastroso e que abalou (e ainda abala) cerca de 200 milhões de brasileiros e a enorme maioria dos bilhões de amantes do futebol de todo o mundo, em sua maioria gente do povo, da classe operária e demais classes despossuídas que vê com enorme simpatia o Brasil e o seu futebol, por comungar das lutas e dos sofrimentos do nosso povo diante do sanguessugas imperialistas. (conforme

http://www.psdb.org.br/derrota-jeitinho-analise-itv/).

Segundo a nota daquele partido – notoriamente representante no País dos banqueiros, privatizadores, especuladores das bolsas de valores etc. – intitulada “A derrota do jeitinho”, divulgada menos de 24 horas após a derrota esmagadora do Brasil para a Alemanha, “a histórica derrota sofrida pela seleção” deveria “servir como lição para que o Brasil se torne um país melhor”.

Procurando atuar como defensores da enorme campanha de assédio e desmoralização contra a Copa e contra a seleção que eles mesmo ajudaram a impulsionar com a sórdida atuação da cínica imprensa burguesa, a nota tucana não se contém em elogios para a medíocre seleção alemã cuja vitória representaria para o PSDB, “o triunfo da técnica, da disciplina, do método e do rigor sobre o improviso, o descompromisso e a fé em que, no fim, tudo vai dar certo, porque, afinal de contas, Deus é brasileiro e conosco ninguém pode”.

Ao contrário do que afirma o PCO, do que sentiram os jogadores e que a cada dia fica mais claro para amplas parcelas do povo brasileiro, a vitória alemã não teria sido para o partido pró-alemanha um acidente provocado pela profunda desestabilização do selecionado brasileiro, que não foi obra do acaso, nem culpa de deus, mas de uma vasta campanha de quem torceu e agiu com toda força para levar o time brasileiro à desestabilização. Não, na versão “ariana” do PSDB o time alemão teria vencido porque são melhores, mais disciplinados, mas rigorosos….” enfim seriam um exemplo do qual o “país do futebol”, o berço de Pelé, Garrincha, Didi. Zico, Romário, Falcão, Ronaldos, Neymar e milhares de outros craques e milhões de jogadores teria que aprender com a “técnica, método..” do que o PSDB viu com sendo “lance genial de

Robben ou Müller”.

Uma máxima tradicional dos setores mais reacionários da direita pró-imperialista no Brasil, sempre foi “o que é bom para os Estados Unidos, é bom para o Brasil”. Os neoliberais tucanos “adaptaram” esse pensamento de verdadeiros capachos para “o que é bom para o imperialismo mundial, é bom para o Brasil”.

Em uma nota que publicamos poucas horas depois da derrota do Brasil, nós do PCO, que não temos dois lados, nem duas caras, nos colocamos em solidariedade ao povo brasileiro e ao jovem selecionado, derrotado em campo como lance final de uma intensa operação dos inimigos do povo contra a própria seleção e o povo brasileiro. Lá já alertávamos contra “os chacais, como a direita, que querem agora tirar proveito desta humilhação e desmoralização” os quais, junto com os pequeno-burgueses de esquerda e de direita iriam “festejar a tristeza do povo e a sua humilhação” (in http://www.pco.org.br/nacional/eles-conseguiram-e-agora/aspa,a.html) .

Infelizmente, acertamos em 100%. Os abutres imperialistas e seus servos, sem dó nem piedade do povo, se puseram rapidamente a buscar tripudiar sobre a desmoralização popular e tentar tirar proveito do verdadeiro clima de calamidade que se abateu sobre a nação brasileira, no Brasil e em todo o mundo.

Nos EUA, para comemorar a derrota do Brasil, direitistas que odeiam o futebol por ser ele um esporte popular, das classes oprimidas, dos negros, dos latinos etc. “pintaram” o topo do Empire State com as cores da Alemanha, comemorando a derrota do Brasil. No Brasil, a nota oficial do PSDB deixou evidente de que este foi desde o começo, uma verdadeira “torcida organizada contra o Brasil”, em solo brasileiro, mantido com recursos do povo brasileiro.

A nota deixa evidente o desprezo desse partido não só pela paixão nacional, que é o futebol e sua “torcida” pela derrota brasileira, mas sua convicção de que precisa desprezar e menosprezar tudo aquilo que o povo brasileiro, pensa, gosta, admira e acredita. Para isso remove as feridas de 1950, para dizer – ao melhor estilo que os brada burguesia rascista que os “brasileiros” (ou seja, os pobres, os que constroem a riqueza desta nação, têm “certo complexo de vira-latas”, por certo para justificar o tratamento desumano que estes senhores dispensam à classe trabalhadora, tratada por eles como verdadeiros animais de quinta categoria, ou como “vira-latas” como eles afirmam.

A nota da “torcida tucana pró-alemã” afirma que é a “cultura da esperteza, que só nos afunda”, quando foram e são eles os maiores responsáveis pelo período de maiores “afundamentos” e retrocessos da história recente do País, reconhecida por milhões como a “famigerada era FHC”, na qual imensas riquezas brasileiras, como os trilhões de reservas minerais da Vale do Rio Doce, bilhões em petróleo, empresas de telefonia, de eletricidade etc. etc. foram entregues à preço de banana para os tubarões capitalistas americanos, alemães etc. pelos quais os tucanos “torcem” e dos quais recebem apoio contra o povo brasileiro.

Ou terá sido “eficiência”, a demissão de centenas de milhares de brasileiros e o desemprego em massa provocados pelo Plano Real, o fim das aposentadorias por tempo de serviço, a distribuições de bilhões para os banqueiros com as privatizações e outros golpes promovidos pelos tucanos ? E o que dizer da destruição do ensino público e o crime de lesa pátria de condenar nossas crianças e jovens ao analfabetismo para dar lucros aos tubarões do ensino pago? Não será tudo isso, ao contrário, a demonstração do complexo de “poodles”, de “cachorrinhos de madame” do imperialismo do tucanato e dos seus seguidores de direita e extrema-direita?

A nota do PSDB deixa evidente suas intenções de usar a derrota da seleção e do povo brasileiro como arma na sua luta contra o governo capitulador do PT que, tendo seguido aspectos centrais de sua política contra o povo trabalhador (privatizações envergonhadas, subsídios para os banqueiros e grandes monopólios etc.), não se mostra capaz de reagir à toda esta canalhice e de defender à altura os interesses nacionais e da imensa maioria do povo brasileiro, a sua classe trabalhadora. O faz na expectativa de que, abalada por tal humilhação, a classe trabalhadora e suas organizações não reajam e, deste modo, os abutres voltem a dominar a situação e impor de maneira mais acabada e violenta “seus” planos que não são mais do que os planos dos seus senhores imperialistas.

Os elementos do partido do governo de São Paulo, responsável pela brutal repressão contra estudantes e trabalhadores desarmados em 13 de junho de 2013 que deram início às maiores manifestações da história recente do País, tentam ainda aplicar o estelionato de falar em nome dos “protestos de junho de 2013” e buscam atribuir apenas ao governo do PT a responsabilidade “por tudo o mais que a Copa do Mundo deixou de entregar: desde as promessas frustradas até o desperdício de recursos públicos que certamente teriam sido melhor empregados em algo mais premente para a população do que elefantes brancos apelidados de arenas”, quando são parceiros e sócios dos grandes monopólios que lucraram bilhões com as negociatas da Copa, da mesma forma que são representantes políticos das máfias que ganham muitos mais bilhões (e até trilhões) com as negociatas das privatizações, do trensalão, do rodoanel, do desvio de verbas da Educação, da entrega do petróleo nacional etc, etc,

A simpatia do PSDB pela Alemanha não se atém ao futebol. Em seu governo, em suas declarações etc. estes senhores têm evidenciado que admiram profundamente (e o querem para o Brasil) o modelo de “austeridade” do governo alemão que pode ser resumido na política que os banqueiros alemães e seu governo neoliberal vem impondo não só à maioria do povo alemão, mas também – de forma ainda mais marcante – aos povos mais pobres da Europa (da Grécia, Portugal, Espanha etc.) e de outras regiões em que têm influência – em aliança como o imperialismo norte-americano – como na Ucrânia etc.: uma política de expropriação em massa dos empregos, dos salários, das aposentadorias, de liquidação em massa das conquistas sociais, das lutas dos trabalhadores de décadas passadas, para socorrer vorazes apetites de lucros dos banqueiros alemães e de um punhado de monopólios que dominam o mundo, inclusive o futebol.

Querem usar humilhação do povo brasileiro, sua tristeza diante da derrota da copa para fazê-lo andar para trás em direção às trevas da política neoliberal e de sua fase mais aguda, em certa medida (ainda limitada) derrotada e profundamente repudidada pelo povo brasileiro.

Repetimos o que assinalamos, poucas horas depois da partida do mundial: “O jogo bruto de sempre, dentro e fora do campo, atropelou o Brasil, seu futebol e seu povo. Os que esperam ganhar têm que aguardar a reação real do povo”.

Chamamos às organizações de luta dos trabalhadores, da juventude, da esquerda socialista, de todos que se colocam verdadeiramente do lado do povo brasileiro a reagirem à altura à esta ultrajante demonstração de servilismo ao imperialismo e de desprezo por tudo o que diz respeito aos interesses da valorosa classe trabalhadora brasileira e de toda a nação.

Do Diário Causa Operária Online
http://www.pco.org.br/nacional/um-partido-que-torce-contra-o-brasil-e-o-povo-brasileiro-e-servil-aos-interesses-do-imperialismo/aspb,o.html

Uma resposta para “A Nota Oficial do PSDB sobre a Copa: um partido contra o povo brasileiro

  1. Pingback: A esquerda e a derrota | Direitas Já!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s